Brasileirão Série B

Ponte Preta e Lusa empatam em 0 a 0

7/15/2014 09:37:00 PMReginaldo Júnior

Macaca criou as principais chances do jogo, mas estreante Rafael Santos faz boas defesas e evita a derrota. Lusa segue na zona do rebaixamento

O torcedor de Campinas, é claro, sabia que o jogo não teria o brilho de um duelo de Copa do Mundo. Mas, 42 dias depois da última partida das equipes, todos certamente esperavam mais do que o 0 a 0 que o placar marcou no confronto entre Ponte Preta e Portuguesa, na noite desta terça-feira, no Moisés Lucarelli.

Principalmente os ponte-pretanos. Com amplo domínio da partida, a Macaca enfileirou chances durante os 90 minutos, mas viu o goleiro Rafael Santos fazer uma estreia segura na meta rubro-verde. Jussandro, outro estreante, acabou expulso nos minutos finais. Mas o 0 a 0 persistiu.

Com o resultado, a Macaca perde a chance de entrar no G4, ficando com 17 pontos. Já a Lusa, vice-lanterna, termina a 11ª rodada com dez pontos. Na próxima, os dois times jogam na sexta-feira. Às 19h30, a Lusa recebe o Paraná Clube, no Canindé. Já às 21h50, a Ponte Preta visita o Avaí, na Ressacada.

Ponte Preta e Portuguesa  (Foto: (Rodrigo Villalba / Futura Press) 
Ponte Preta e Portuguesa ficaram no 0 a 0 (Foto: (Rodrigo Villalba / Futura Press)

Estreias na Lusa, reestreia na Ponte e um jogo embolado

Os primeiros 45 minutos após o recesso do Mundial foram fracos de emoções. Dona da casa, a Macaca jogou no campo de ataque, mas só assustou em chutes de Cafu e Edno, que Rafael Santos espalmou. Além do goleiro, a Lusa estreou o zagueiro Brinner, o lateral-esquerdo Jussandro e o atacante Weverton. Ligado no jogo aéreo, o time da capital explorou os contra-ataques, mas o jogo acabou ficando embolado. Com a volta do zagueiro Tiago Alves, que substituiu César (negociado com a Europa) na Macaca, o 0 a 0 foi justo e merecido.

Ponte domina o jogo e enfileira chances, mas o placar não muda

Melhor no jogo, a Ponte voltou do intervalo ainda mais dominante. Em poucos minutos, exige boas defesas de Rafael Santos em chutes de Alexandro e Daniel Borges. O duelo, aliás, do goleiro com o lateral-direito da Ponte, persistiu por todo o jogo, já que Daniel era o responsável pela bola parada. Em um desses lances, bateu escanteio com veneno, buscando o gol olímpico. Mas Rafael evitou. Léo Cittadini, mais perto do fim do jogo, também assustou em chute cruzado. Mas o gol não saiu. Nem mesmo com a expulsão de Jussandro. A noite não era de gols.

Fonte: Globo Esporte

You Might Also Like

0 comentários

Não é Permitido Palavrões!!!







.