Copa do Mundo

Argélia bate a Coreia e sonha com as oitavas

6/22/2014 05:58:00 PMReginaldo Júnior

Time africano vence jogo de Copa pela primeira vez desde 1982 e fica mais perto de vaga inédita na fase eliminatória. Asiáticos ainda têm chances

O futebol da Argélia tirou um peso das costas no Beira-Rio. A equipe africana encerrou neste domingo um jejum de 32 anos sem vitórias em Copas do Mundo, admitido como obsessão, ao superar a Coreia do Sul por 4 a 2, no Beira-Rio. Slimani, Halliche, Djabou e Brahimi foram os heróis de sua seleção, que havia triunfado pela última vez na edição de 1982, sobre o Chile. De lá para cá, foram sete jogos, com três empates e quatro derrotas. Também foi a primeira vez que um time da África marcou quatro gols em um só jogo na história do torneio. Son Heung Min e Koo Ja Cheol descontaram para os coreanos.

Com uma de suas tarefas no Mundial cumprida, agora a Argélia sonha com a inédita classificação para as oitavas de final. Para que isso se concretize, um empate diante da Rússia pode ser o suficiente, uma vez que os argelinos têm três gols de diferença no saldo para os coreanos, que pegam a líder e já classificada Bélgica. Argélia e Rússia se enfrentam na Arena da Baixada, em Curitiba, enquanto Coreia do Sul e Bélgica jogam na Arena Corinthians, em São Paulo. As duas partidas serão realizadas na próxima quinta-feira, às 17h (de Brasília).

Djabou gol Argélia x Coreia (Foto: Reuters) 
Djabou vibra: Argélia vence novamente após 32 anos (Foto: Reuters)

Argélia assume postura ofensiva e põe vitória nas mãos

Com cinco alterações com relação à equipe derrotada pela Bélgica na estreia, a Argélia parecia estar concentrada ao ponto de deixar de lado das divergências entre jogadores e técnico. O abraço entre todos do elenco, titulares e reservas, à beira do campo instantes antes do apito inicial mostrou isso, assim como a postura muito agressiva no ataque nos primeiros minutos, quando logo apareceu uma boa chance de marcar com Brahimi, em lance no qual os africanos pediram pênalti em Feghouli. Aparentemente, a queda de braço foi vencida pelo elenco, que queria uma postura mais ofensiva em campo.

A Coreia, que a princípio ficou recuada diante da pressão adversária, passou a se soltar nos contra-ataques em que a defesa argelina demorava a se recompor, embora nenhuma chance perigosa tenha sido criada para os asiáticos na primeira metade do tempo inicial. A grande oportunidade novamente veio dos pés argelinos, quando Feghouli deu lindo passe para Slimani bater para fora, aos 25. Um minuto depois, o atacante do Porto não desperdiçou: aproveitou outro bom lançamento de Medjani e tocou na saída de Jung Sungryong.

Empolgada com a força da torcida, a Argélia foi para cima de vez. Novo ataque, nova chance perigosa, com Slimani batendo para fora, com desvio. No escanteio, Djabou cobrou, e Halliche testou para as redes: 2 a 0, aos 27 minutos. A torcida argelina, que já era mais barulhenta que a coreana no Beira-Rio, explodiu de vez e cantou sem parar. E os africanos precisaram de mais 10 minutos para se colocarem em zona de conforto quase definitiva: após chutão na zaga, Slimani recebeu na área, dominou e tirou o zagueiro, tocando para Djabou, que vinha sozinho e tocou na saída do goleiro. Pela terceira vez, delírio nas arquibancadas e abraços entre titulares e reservas à beira do campo, com o técnico Vahid Halilhodzic apenas observando.

Pressão coreana e mais gols no Beira-Rio

Ao irem para os vestiários no intervalo, os coreanos eram a visão do abatimento, principalmente pela falta de poder ofensivo: no primeiro tempo, foram 12 chutes argelinos contra nenhum dos asiáticos. Porém, os 15 minutos de pausa mudaram o time. Apesar de ter retornado a campo sem nenhuma substituição, os coreanos tiveram outra postura. Logo na primeira finalização, aos seis, descontaram: Son Heung Min, o "Neymar sul-coreano", foi lançado na área, dominou com as costas, sem querer, e chutou na saída de MBolhi.

A pressão dos asiáticos continuou, e Mandi teve que aparecer de forma salvadora, aos 12, para salvar em cima da linha, com uma cabeçada, o chute forte de Park Chu Young. No lance seguinte, o goleiro MBolhi fez ótima defesa em boa finalização de Ki Sung Yueng. Até que os argelinos, que recuaram na etapa final, conseguiram esfriar um pouco os ânimos adversários. Com ótima tabela na área, Brahimi recebeu de Feghouli e apareceu livre, aos 17. Restou chutar colocado e marcar o quarto dos africanos.

A Coreia do Sul, apesar da grande diferença no placar, se acendeu novamente. Após mais um momento de pressão, o time asiático conseguiu descontar novamente aos 27. Depois de lançamento na área, a bola foi mal afastada pela zaga, e Lee Keunho tocou para Koo Jacheol apenas escorar para o fundo das redes. O sexto gol do jogo também foi o 14º no Beira-Rio na Copa do Mundo e despertou o sentimento de orgulho gaúcho nas arquibancadas, que receberam 42.732 pessoas neste domingo. Em momento mais quieto de argelinos e coreanos, o hino do Rio Grande do Sul foi cantado a plenos pulmões, seguido do grito "Ah, eu sou gaúcho!".

Fonte: Globo Esporte

You Might Also Like

0 comentários

Não é Permitido Palavrões!!!







.